quinta-feira, 22 de julho de 2021

A vida em ritmo olímpico – autoria: Valeria Borges da Silveira


Estamos em fase de Olimpíadas, o maior espetáculo do mundo.
Devido à pandemia da Covid-19, os Jogos Olímpicos de Tóquio, que deveriam acontecer em 2020, foram adiados para 2021, no período de 23 de julho a 9 de agosto. Mesmo assim, 206 delegações foram confirmadas, envolvendo os 5 continentes mundiais.
No total dos 20 dias dos Jogos Olímpicos de Tóquio, são realizados mais de 300 eventos esportivos disputados por cerca de 12.750 atletas de 206 países. O Brasil está representado por 301 atletas de 35 modalidades.
Treinamentos diários e a missão de domar a ansiedade em disputas capazes de mudar suas vidas.
Para participar das Olimpíadas é preciso ser bom, muito bom, naquilo que faz. Mas para vencer é necessário além de ser bom, ser o melhor.
O atleta sabe que irá passar por fortes emoções, mas tem que se manter firme e concentrado em seus objetivos, para realmente atingir a meta de vencer.
Nas “olimpíadas da vida” não é diferente.
Há necessidade de sermos bons naquilo que fazemos. Procurar a cada dia melhorarmos, para realmente podermos competir no mercado de trabalho. O ser humano sempre deve estar em busca de “algo mais”, aprofundar seus conhecimentos.
Quem está melhor preparado tem maiores chances de conquistar um “justo espaço” na sociedade, com grande tendência a crescer profissionalmente.
*imagem da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário