quarta-feira, 5 de agosto de 2020

"Conversando com meu pai..."




"Conversando com meu pai no dia de hoje (Dia Nacional da Saúde) sobre os avanços e desafios da saúde pública no Brasil, tive novamente uma aula de conhecimento de alguém que muito contribuiu com nosso país e ainda tem muito a contribuir. Já ouviu falar da campanha do “Zé Gotinha” ou da campanha contra o cigarro do Ministério da Saúde “Fumar faz mal à Saúde” ou do Siate? Vou contar sobre essas iniciativas logo abaixo.
.
Já ouvi muitas de suas histórias e vivi outras tantas junto com ele, mas cada vez que paramos para conversar eu me surpreendo ainda mais. Já passou por isso? Quando somos criança ou adolescente não damos muita bola para as conquistas dos nossos pais, seja quando adquirem algo ou conquistam um emprego novo. Não percebemos o quanto precisaram ralar para criar seus filhos e continuarem conquistando seus objetivos e sonhos. Mas com o passar dos anos, damos cada vez mais valor e importância por tudo que eles fazem por nós, filhos e também pelos outros.
.
Hoje dou ainda mais valor para a história de vida do meu pai e quero compartilhar um pouco com vocês.
.
Ele se chama Luiz Carlos Borges da Silveira, nascido na Lapa e mora em Curitiba há muitos anos. É médico, especialista em saúde pública. Foi Ministro da Saúde logo após o Regime Militar. Um homem íntegro e de bom coração.
.
Em 1965, um ano depois de formado pela Universidade Federal do Paraná(UFPR), o jovem idealista passou num concurso público e foi designado para a chefia do 7º Distrito Sanitário na região Sudoeste do Paraná onde implementou a saúde pública na região mais nova do Estado, que praticamente não dispunha de estrutura. O reconhecimento ao seu trabalho na área da saúde foi a eleição como vice-prefeito da cidade de Pato Branco, em 1976, no meio da eleição eu nasci . Dois anos depois, se elegeu Deputado Federal, cargo que ocupou por 3 mandatos, com atuação de um homem honrado e decidido a fazer algo pelo país e pelos paranaenses.
.
Sua dedicação e o conhecimento em saúde pública, foram reconhecidos mais uma vez. Aceitou o convite para ser Ministro da Saúde em 1987, com o desafio de melhorar o atendimento à saúde no Brasil. Desenvolveu ações que culminaram na criação do SUS que hoje conhecemos. E o SUS, mesmo com suas carências e necessidade de melhorias, é considerado o melhor do mundo em se tratando de saúde pública.
.
Foi o criador da Campanha do “Zé Gotinha”, uma iniciativa para incentivar a vacinação contra paralisia infantil, que no Brasil afetava muitas crianças. Nosso país é referência até hoje em vacinação pública no mundo.
.
Foi na sua gestão que começou a discussão mundial de combate a AIDS, onde implantou a distribuição de camisinhas para evitar a contaminação, além de tornar obrigatória, por lei, a realização de exames em doadores de sangue, criando também os Hemocentros. ACREDITA QUE ANTES DISSO SE VOCÊ PRECISASSE DE SANGUE PARA UMA CIRURGIA PODERIA PEGAR AIDS, MALÁRIA, HEPATITE OU SÍFILIS DO DOADOR POR NÃO REALIZAREM EXAMES NO SANGUE?
Liberou o uso de produtos dietéticos no Brasil, o que era proibido até então.
.
“O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: FUMAR É PREJUDICIAL À SAÚDE.” Lembra dessa frase? Parece uma ação simples, mas meu pai enfrentou uma indústria poderosa para alertar sobre os riscos do cigarro e diminuir seu consumo.
.
Acreditou e destinou recursos para implantar o projeto SIATE em Curitiba, para atendimento de emergências médicas, também se tornando referência e implantado Brasil afora.
.
Essas foram algumas das suas ações que me orgulham muito além de tantas outras que realizou.
Acredito que devemos ter como referência e inspiração pessoas nas quais confiamos, acreditamos e que realizaram feitos que admiramos.
Neste dia da Saúde, véspera do dia dos Pais, ouvir novamente sobre seus feitos foi um grande incentivo a me dedicar e honrar seu legado.
Pai, obrigado por todo ensinamento!"
 
Escrito pelo meu irmão,  Leandro Borges da Silveira