segunda-feira, 8 de junho de 2020

EM ÉPOCA DE PANDEMIA – autoria: Valeria Borges da Silveira (página 19)


EM ÉPOCA DE PANDEMIA – autoria: Valeria Borges da Silveira (página 19)

"Desde meados de março de 2020 estamos passando por uma fase um tanto atípica...
Muita preocupação com toda essa situação atual. Desde fevereiro trabalho na administração de um Hospital.
Preocupação com colegas de trabalho, com família, com amigos, e também com a solução para a humanidade.
Preocupação por algumas pessoas não darem a devida importância aos mínimos cuidados para controle dessa pandemia...
Sinto Saudades de meus pais, meus irmãos, enfim toda família.
Sinto Saudades de amigos especiais...
Saudades de um simples abraço, um aperto de mão...
Mas como dizia Charles Chaplin: “Nada é para sempre neste mundo, nem mesmo nossos problemas”.
Moro com minha filha. Ela é a grande companheira de todas as horas.
Paralelamente, com “essa mudança” - tenho curtido mais a companhia de minha filha, assistimos filmes juntas, conversamos bastante, revimos algumas fotos. Temos “testado” também umas novas receitas gastronômicas, algumas guloseimas...
Tenho assistido muitas “lives” com apresentações musicais, com contações de histórias, com cursos online, com personalidades de renome local, regional, nacional e internacional.
Também tenho tido muita inspiração para escrever... Alguns textos, algumas poesias.
Uso a arte de escrever como “terapia”. A inspiração vem dos mais diferentes lugares, algo que ouvi, algo que vivenciei, algo que me deixou “intrigada”, algo que me fez sonhar...
Tenho refletido muito sobre tudo. Sobre a vida. Sobre os relacionamentos. Sobre como manifestar os sentimentos.
Tenho pensado o porquê de “corrermos” tanto no dia-a-dia e sequer pararmos para vermos se vale a pena.
Deveríamos fazer constantemente um “feedback” das nossas ações cotidianas. Procurar ter mais tempo para coisas que realmente fazem a diferença em nossas vidas... Curtir mais a família, curtir mais os amigos, curtir mais a natureza...
Deveríamos cuidar mais da natureza, curtir mais os lindos fenômenos que ela apresenta... Um arco-íris, um pôr do sol, pingos de chuva, uma noite de lua cheia...
Olhar para as coisas com olhos diferentes, enxergar além das cores, refletir sobre o verdadeiro significado da vida, refletir sobre a importância do amor e fazer renascer os mais nobres sentimentos.
Mais do que buscar a cura do vírus, devemos buscar a cura do mundo, tentarmos fazer um mundo melhor.
Valorizar toda a riqueza natural do universo. Céus, terras, mares... O sol, a lua, as estrelas, as flores, as plantas...
Valorizar as pessoas que convivemos, procurar ver além da aparência... Falar palavras gentis, agir com educação, respeito e consideração sempre!
“É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã...” (Renato Russo).
Que a fé nos renove sempre e nos faça sonhar e acreditar em dias melhores."

Link da revista:
https://issuu.com/cultive/docs/revuecultive11junho2020?fbclid=IwAR1I5ZTkSJcz7Ac00a_UftPczhtCBX_R_1kDj8jNs1JMRT5flFNHYXgydpo