domingo, 29 de março de 2020

"Homenagem a Curitiba – 327 anos" – autoria: Valeria Borges da Silveira


"Nossa Senhora dos Pinhais
Protegei a cidade de Curitiba
e as demais...
Nasci nessa cidade querida...
Tantas emoções já vividas...
Um salve à natureza,
Lugares turísticos de tanta beleza...
Parques Tanguá, Tingui,
São Lourenço, Barigui...
Bosques do Papa, do Alemão,
Lembram fundadores, tradição...
Ópera de Arame, Jardim Botânico,
Fazem com que o amor a nossa cidade se inflame...
Enfim tantos lugares maravilhosos,
Que nesse momento nos deixam saudosos...
Então nos 327 anos de fundação
Do fundo do coração...
Pedimos uma benção especial
A todas pessoas de Curitiba,
A minha cidade natal,
Um clamor à vida!"


(* Foto Matriz - imagem internet)
"Homenagem a Curitiba – 327 anos" – autoria: Valeria Borges da Silveira

sábado, 28 de março de 2020

O SONHO AINDA FLORESCE – autoria: Valeria Borges da Silveira


“Saudades só temos de pessoas e momentos valiosos...
Que importam as nuvens no horizonte?
Não existem sentimentos ociosos...
O sonho ainda floresce...
...E mesmo quando anoitece
Espera-se que um novo dia desponte...”
 


(foto e texto de autoria de Valéria Borges da Silveira)

sexta-feira, 27 de março de 2020

"Muitos Sóis" - autoria: Valéria Borges da Silveira


"A vida às vezes nos causa inquietações.
Somos seres vulneráveis
Sempre em busca de luz
Sempre em busca de amor.
Às vezes inesperadamente aparecem problemas....
Temores, dúvidas, dilemas...
Que parecem incuráveis
Mas acredito que Deus "escreve certo por linhas tortas"...
Deus é maior!
Ainda haverão muitos "sóis"
Para abençoar e iluminar
Todos nós!


(foto/crédito: Laura Ines Borges da Silveira Lira)

sábado, 21 de março de 2020

Dia 21 de março - Dia Mundial da Poesia


"A dúvida pára em mim.
Só em Deus vive a esperança dos que amam?
A alma nasce para a vida,
Procura a vida.
Estou só. Sozinha com minhas plantas,
Minhas orquídeas, Minhas aráceas...
Decorei meu mundo
Com folhas secas caídas dos antúrios em flor.
Sou energia, força viva,
Em plena elaboração,
Que eu cuido com água, luz e amor
ou... sou uma composição
De vida e de força estática,
intacta, pendente no ar.
Canto, leio, sonho e escrevo.
Trago comigo muitas saudades,
Sentimentos, esperanças...
Sou ímpeto aquariano de linhas e de luz.
Vi o crepúsculo das tardes de verão
Como que ensanguentando o poente
Num milagre de realização.
E assim sou,
Não materialmente, não visivelmente,
Não fisicamente, não loucamente,
No tempo e no espaço,
Apenas só."


 "Assim sou, apenas Só" - autoria: Valéria Borges da Silveira - livro Rastos (publicado em 2000)

Acreditar



"Não é o desafio com que nos deparamos que determina quem somos e o que estamos nos tornando, mas a maneira com que respondemos ao desafio. Somos combatentes, idealistas, mas plenamente conscientes. Porque o ter consciência não nos obriga a ter teoria sobre as coisas, só nos obriga a sermos conscientes! Problemas para vencer e liberdade para provar. E enquanto acreditarmos no nosso sonho, nada é por acaso". (Henfil)

segunda-feira, 16 de março de 2020

"Todos os Sentidos" - autoria: Valeria Borges da Silveira.

Resultado de imagem para casal
"Todos os meus sentidos lembram você!
O degustar dos melhores sabores!
Enxergar além das cores...
Ouvir até quando o tempo silencia.
Mãos construindo tudo junto, toque que sacia...
Aspirando e respirando o amor dia-a-dia..."

"Todos os Sentidos" - autoria: Valeria Borges da Silveira. 

domingo, 8 de março de 2020

"EU MULHER" – autoria: Valeria Borges da Silveira

Resultado de imagem para mulher
"Sou sincera e objetiva
Às vezes “dona de mim”, incisiva...
Mas nunca dona do mundo.
Serei sempre uma mulher de verdade
nem tanto Amélia nem tanto Elizabeth
Sempre entre sorrisos e tramas
Buscando ser cortês,
Um pouco impetuosa talvez...

Mulher terra, a própria primavera...
Que um lindo futuro espera
Que sonha ser conquistada.
Ficar com “a alma” massageada...
Ter a vida abençoada
Sempre respeitada
Com poesia nos lábios, no sorriso,
Nas letras, na caminhada...

Sou fera, sou anjo,
Sou mãe, sou filha, sou irmã, sou amiga.
Livre e comprometida,
Forte e frágil...
Sensível e atrevida...
Tenho sorte e sou ágil,
Sou cordial, quase sensata,
Nunca ingrata...

Acredito no amor
Sei pouco da vida
Por vezes morro de saudade
De uma fase imensurável, nem vivida...
Sou desdobrável.
Quase um poema, um sol...
Ou mulher lua, indomável,
De temores nua..."

"EU MULHER" – autoria: Valeria Borges da Silveira