terça-feira, 10 de novembro de 2015

CONSULTORIA SOBRE DESCONSTRUÇÃO DA INFÂNCIA

O ser adulto e o ser criança - nos constituímos como tal na relação entre a infância e a vida adulta.

Grande parte das pessoas tem uma ideia generalizada de criança e adulto. Entretanto, cada vez mais nos deparamos com os paradoxos relacionados à vida de um e de outro. De um lado temos plena diferenciação entre o mundo infantil e o mundo adulto. Há entidades voltadas especificamente à infância e, por outro lado, instituições de ações e decisões que deveriam estar voltadas ao mundo adulto.

Porém atualmente cada vez mais cedo, as crianças tem acesso às tecnologias e a transição entre a infância, a adolescência, a juventude e a vida adulta por sua vez ocorre em uma “espantosa” velocidade.

A cada nova vivência das crianças, novas aprendizagens se estabelecem. As crianças são curiosas e investigadoras. Cabe a nós adultos tentarmos entender a evolução, as capacidades, mas também as fragilidades da criança, estabelecendo estratégias de relação e cuidados com “as modernizações do mundo”.

Contudo, reconhecer e dar visibilidade às crianças como “produtoras de cultura” não significa tratá-las como adultos. Elas precisam viver as experiências pertinentes ao universo infantil, apesar de viverem em uma época de um fluxo exorbitante de informações..

Também por viverem em uma velocidade “assombrosa” de transformações, tecnologia somada ao estresse ocasionado pelas atribuições diárias, adultos estão cada vez mais buscando alternativas para uma melhor qualidade de vida e formas saudáveis de lidar com a ansiedade.

Alguns hábitos voltam a ser vividos... Essa é a principal proposta dos livros de colorir para adultos, que viraram uma verdadeira febre. É um resgate de memórias que ficaram esquecidas.

Em tempos em que o meio digital é tão presente na vida, uma atividade manual não relacionada à tecnologia pode ser a alternativa que proporcionará bem estar e relaxamento.

Para crianças os livros para colorir são muito importantes por estimular a coordenação motora e despertar o lado criativo. Nos adultos, funcionam de forma diferente. Por os adultos acumularem responsabilidades, também acabam acumulando o estresse da correria do dia-a-dia. Então os livros para colorir acalmam e relaxam.

Se concordamos que é importante dar um rumo às emoções como parte de saber viver civilizadamente, cabe então reconhecer que mecanismos anti-estresse ajudam a “enfrentarmos” as mudanças e evoluções diárias e essas alternativas servem tanto para o mundo adulto, quanto a outras fases e etapas da vida.


"Consultoria sobre desconstrução da infância", texto de autoria de Valéria Borges da Silveira - todos os direitos reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário