sábado, 28 de dezembro de 2013

Feliz 2014



ANO NOVO...

Teoricamente – continua tudo igual...
Ainda seremos os mesmos, teremos os mesmos amigos, as mesmas dívidas (emocionais ou financeiras).
Ainda seremos fruto das escolhas que fizemos durante a vida.
A diferença, a sutil diferença é que agora temos um ano IN-TEI-RI-NHO pela frente!
Um ano novinho em folha! Como uma página de papel em branco, esperando pelo que iremos escrever.
Um ano para perdoarmos um erro, um ano para sermos perdoados dos nossos...
365 dias para fazermos o que quisermos...
Sempre há uma escolha...
E, exatamente por isso, desejo que faça as melhores escolhas que puder.
Desejo que sorria o máximo que puder.
Cante a música que quiser.
Ame muito!!
Curta muito a família!!
Durma com os anjos. Seja protegido por eles. Agradeça por estar vivo e ter sempre mais uma chance para recomeçar.

Quero agradecer os amigos que tenho.
Aos que me acompanham desde muito tempo.
Aos que fiz este ano de 2013.
Aos que escrevo pouco, mas lembro muito.
Aos que moram longe e não vejo tanto quanto gostaria.
Aos que moram perto...
Aos que parecem anjos, mas estão aqui e dão a certeza de que este mundo é mesmo divino.

Obrigada por fazer parte da minha história!

Espero que 2014 seja um ano bem mais feliz, amoroso e próspero!!!!!!!

Sintam-se abraçados...

Valéria Borges da Silveira

domingo, 22 de dezembro de 2013

Boas Festas- Para se pensar...


Para pensar...

Tudo é uma constante mudança. As pessoas mudam, o mundo muda...

Tudo se transforma com o tempo, e nada permanece igual. O que nos resta são os bons momentos que foram vividos e que ficaram guardados para sempre em nossa lembrança. Devemos viver cada segundo intensamente. Nada é perfeito e em nossa vida, surgem obstáculos e muitas vezes nos vemos sem saída e sem solução para nossos problemas. Aí pensamos e surge a dúvida: Será que existe luz no "fim do túnel"? Para tudo existe uma solução e o maior e principal problema está em nós mesmos, em nossa dificuldade de encarar os fatos e lutarmos por aquilo que realmente desejamos. Toda pessoa possui dentro de si um certo medo, uma insegurança de não conseguir e de ser um perdedor; mas a vida é uma intensa provocação, e devemos encará-la de "peito aberto" para poder vencer e mostrar a nós mesmos que somos capazes de lutar e sermos os melhores. Devemos sempre seguir a voz de nosso coração e seguir sem medo de viver. A palavra nunca, não existe no vocabulário da vida, pois nós podemos tudo o que quisermos. A auto confiança e a segurança devem ser as principais armas nessa batalha que se chama vida. Mas o que a vida representa? A vida é feita de momentos muitas vezes ruins e bons, tristes e alegres e de presente, passado e futuro. O passado foi vivido e as recordações restam; para o futuro termos esperanças de uma vida feliz. Mas e o presente? Devemos vivê-lo ao máximo, para podermos fazer desses momentos os melhores de nossas vidas. Um conselho: Viva e aprenda com a vida. A cada dia, aprendemos novas lições e com elas tiramos proveito para não errar novamente, não "tropeçar" no mesmo erro. Todos os dias acordamos e fazemos praticamente o mesmo, e às vezes o cotidiano cansa. Mas mesmo assim, olhe para o céu e para o sol. Enquanto ele brilhar para nós, ainda existirá esperança. Podemos ser felizes com pequenas coisas. Sempre faça de sua vida uma eterna primavera com flores sempre a nascer. Vida é renovação, é esperança e temos que ter força para lutar. Não importa que tipo de vida você tenha, apenas viva e tente ser feliz, lute até o fim, busque seus sonhos e ideias com toda a força que puder, pois com certeza alcançará; e no fim de sua vida, você poderá olhar para trás e dizer com orgulho: "Eu lutei, eu vivi, eu busquei, eu venci." E os pequenos e grandes obstáculos que enfrentou, você perceberá que foram como "espinhos " que se foram e se perderam com o tempo.

Boas Festas e um Feliz Natal, grande abraço...
 Valéria Borges da Silveira


segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Convite: 1º Fórum Saúde e Educação BPW.

Como proteger seu filho/sua filha dos perigos que surgem a partir do desenvolvimento tecnológico e do bullying cibernético?
Esses temas serão discutidos no I Forum Saúde e Educação.

Dia 06 de dezembro, às 18:30h no Hospital Pequeno Príncipe ( Rua Desembargador Motta, 1070) auditório I - 6º  andar.

Palestrantes: Neuropediatra Antonio Carlos de Farias e a Psicóloga Rita de Cassia Sprea.

VAGAS LIMITADAS, inscrições até 04 de dezembro pelo email eventos@hpp.org.br

Participem!


segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Convite 140 anos da ALL


A Associação Literária Lapeana, por meio de sua diretoria convida para o evento alusivo a comemoração do 140 anos da A.L.L.
Dia 28 de novembro de 2013, quinta-feira, às 19:30hs no Theatro São João.

Programação:
-Explanação Motivo Evento - Denise Sossela;
-Explanação Projeto "Lapa em Prosa e Verso"- Ieda Janz Woitovicz;
-Homenagem Centenário Vinícius de Morais- com participação de Denise Sossela, Laura Inês Borges da Silveira Lira, Valéria Borges da Silveira, Alunos do Colégio Agrícola, Nádia Burda, Luis Nogueira e Karla Marina.

Participem!

Associação Literária Lapeana com apoio da Prefeitura Municipal da Lapa e Instituto Histórico e Cultural da Lapa.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

VI Edição do FESTIVAL DE CINEMA DA LAPA

PROGRAMAÇÃO PREVISTA
06/11
19h - Comenda Tropeira da Lapa ao Presidente da Fecomércio Darci Piana (Tenda do Festival)
20h - Abertura solene do VI Festival da Lapa - Filmes de Época (Tenda do Festival)
21h - Mostra Competitiva: "Somos Tão Jovens" (16 anos) - Theatro São João

07/11
14h - Mostra Infantil (4 curtas) – Theatro São Joao – censura livre
16h - Mostra Universitária – (censura 12 anos) - Theatro São Joao
18h - Homenagem a Produtora Tigre + longa do Tigre (Tenda do Festival)
20h - Cinejornal + Curta "Uns braços" (Tenda do Festival)
21h - Mostra Competitiva: "Cara ou Coroa" (16 anos) - Theatro São João

08/11
14h – Mostra Infantil (4 curtas) – Theatro São Joao – censura livre
16h - Mostra Universitária – (censura 16 anos) – Theatro São João
18h - Mostra Tigre
20h - Cinejornal + Curta (Tenda do Festival)
21h - Mostra Competitiva: "Flores Raras" (16 anos) - Theatro São João

09/11
14h - Mostra AVEC
16h - Mostra Tigre
18h - Mostra Competitiva: "Corações Sujos" (16 anos) - Theatro São João
20h - Encerramento e premiação - (Tenda do Festival)

**** Durante os dias do Festival de Cinema da Lapa haverá uma exposição sob o tema: “Tropeirismo” – na Pousada Tropeira da Lapa – da artista plástica Paula Shmidlin

Convite para musicalização ao vivo de poemas de Valéria Borges da Silveira


Amigos do Facebook, o músico, poeta e jornalista, Anand Rao estará musicando nesta segunda-feira (28/10) a partir das 19:00h 10 poemas meus. A musicalização será feita ao vivo e transmitida pela Ustream Tv. Para ver acesse o seguinte link público do facebook: www.facebook.com/saraudoanandrao, clique no curtir e num U no meio de um quadrado azul (o aplicativo Ustream Tv) depois no meio da tela de tv que aparecer e assista a tudo.

Valéria Borges da Silveira

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Para pensar...- Texto de autoria de Valéria Borges da Silveira


Tudo é uma constante mudança. As pessoas mudam, o mundo muda...
Tudo se transforma com o tempo, e nada permanece igual. O que nos resta são os bons momentos que foram vividos e que ficaram guardados para sempre em nossa lembrança. Devemos viver cada segundo intensamente. Nada é perfeito e em nossa vida, surgem obstáculos e muitas vezes nos vemos sem saída e sem solução para nossos problemas. Aí pensamos e surge a dúvida: Será que existe luz no "fim do túnel"? Para tudo existe uma solução e o maior e principal problema está em nós mesmos, em nossa dificuldade de encarar os fatos e lutarmos por aquilo que realmente desejamos. Toda pessoa possui dentro de si um certo medo, uma insegurança de não conseguir e de ser um perdedor; mas a vida é uma intensa provocação, e devemos encará-la de "peito aberto" para poder vencer e mostrar a nós mesmos que somos capazes de lutar e sermos os melhores. Devemos sempre seguir a voz de nosso coração e seguir sem medo de viver. A palavra nunca, não existe no vocabulário da vida, pois nós podemos tudo o que quisermos. A auto confiança e a segurança devem ser as principais armas nessa batalha que se chama vida. Mas o que a vida representa? A vida é feita de momentos muitas vezes ruins e bons, tristes e alegres e de presente, passado e futuro. O passado foi vivido e as recordações restam; para o futuro termos esperanças de uma vida feliz. Mas e o presente? Devemos vivê-lo ao máximo, para podermos fazer desses momentos os melhores de nossas vidas. Um conselho: Viva e aprenda com a vida. A cada dia, aprendemos novas lições e com elas tiramos proveito para não errar novamente, não "tropeçar" no mesmo erro. Todos os dias acordamos e fazemos praticamente o mesmo, e às vezes o cotidiano cansa. Mas mesmo assim, olhe para o céu e para o sol. Enquanto ele brilhar para nós, ainda existirá esperança. Podemos ser felizes com pequenas coisas. Sempre faça de sua vida uma eterna primavera com flores sempre a nascer. Vida é renovação, é esperança e temos que ter força para lutar. Não importa que tipo de vida você tenha, apenas viva e tente ser feliz, lute até o fim, busque seus sonhos e ideias com toda a força que puder, pois com certeza alcançará; e no fim de sua vida, você poderá olhar para trás e dizer com orgulho: "Eu lutei, eu vivi, eu busquei, eu venci." E os pequenos e grandes obstáculos que enfrentou, você perceberá que foram como "espinhos " que se foram e se perderam com o tempo.





Para pensar..., texto de autoria de Valéria Borges da Silveira.


terça-feira, 15 de outubro de 2013

O Conhecimento - texto de Valéria Borges da Silveira


O conhecimento é o bem mais precioso de uma corporação e um grande diferencial competitivo no mercado. A partir daquilo que aprende, a empresa inova produtos, serviços, canais e comunicações, levando suas inovações ao mercado.

O conhecimento dos funcionários vale ouro. A empresa bem sucedida será aquela capaz de obter e gerenciar conhecimentos sobre seus clientes, concorrentes, produtos, canais, serviços, parceiros, colaboradores e processos. Contudo, não são raras as empresas que desconhecem seus próprios conhecimentos, perdendo produtividade e lucratividade.

A produção e a difusão do conhecimento representam uma chave para o desenvolvimento sustentável, que depende mais do que nunca de trabalhadores mais qualificados e empresas mais competitivas.

E o conhecimento está sempre em transformação e em progresso. Mas é preciso passar de um ambiente competitivo para o colaborativo. Pois quando se estabelecem conexões entre as pessoas, num clima de confiança, o conhecimento se propaga.

Com o avanço da tecnologia da informação, ficou mais fácil desenvolver o capital intelectual.

Para propiciar a circulação do conhecimento, estão as ferramentas tecnológicas, como a internet e as intranets, que são ao mesmo tempo fontes e armazéns de conhecimentos.

Tendo a consciência da importância do capital intelectual, as organizações devem criar as condições de desenvolvimento, fluxo e melhoria contínua do conhecimento. Desenhar a rede para transformar o capital intelectual num bem da empresa – não somente das pessoas. Cada vez mais, a transformação será a norma, a estabilidade será a aberração.


Texto de autoria de Valéria Borges da Silveira

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

VIVA A DIFERENÇA... - autoria de Valéria Borges da Silveira


A riqueza cultural do mundo consiste na diversidade.

As grandes nações do mundo estão se dando conta de que o diálogo – e a inclusão – entre as diferentes culturas é a melhor garantia do desenvolvimento e da paz.

Que deve-se buscar construir uma sociedade inclusiva, aberta à diversidade humana, valorizando as minorias sem desvalorizar as massas, dando o devido valor a todos.

Hoje procura-se nas mais diversas Instituições de Ensino preparar e capacitar os estudantes a se tornarem multiplicadores do conceito e da prática de uma sociedade inclusiva.

No mundo corporativo também houve um tempo em que se dava preferência a empregados que fossem semelhantes na imagem e no pensamento. Hoje, a força inovadora das empresas – e muitas vezes a garantia de seu sucesso – vem da diversidade.

Colocando as “diferenças para trabalhar” gestores unem esforços na contratação e no desenvolvimento de pessoas de diferentes etnias, idades, gêneros, religiões, orientações sexuais, origens e filosofias, promovendo ainda a inclusão no mercado de trabalho de jovens trabalhadores e de portadores de deficiências.

“Condenando” o preconceito, as empresas obtêm equipes multiculturais de variadas competências, habilidades e histórias de vida, assegurando o respeito mútuo e a dignidade de todos, buscando e sabendo ver o que cada um consegue oferecer de mais especial

Cada pessoa é uma fonte surpreendente de idéias, que motivada faz com que as opiniões mais distintas transformem um ambiente em um lugar de crescimento mútuo.




Texto de autoria de Valéria Borges da Silveira.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Solenidade de Certificação do Concurso " LAPA em PROSA e VERSO"



 Foi um sucesso o evento da  ASSOCIAÇÃO LITERÁRIA LAPEANA, de entrega de CERTIFICAÇÃO do Concurso "LAPA EM PROSA E VERSO", em setembro, no Theatro São João - Lapa/PR.


Com a participação de vários membros da Associação Literária e da comunidade em geral, com abertura do evento por Denise Siqueira, atual Presidente da Entidade, apresentação Musical com Luiz Ganso Nogueira, interpretação de Poesia e homenagem  aos selecionados do Concurso com Valéria Borges da Silveira, entrega de Certificação aos participantes do Concurso LAPA EM PROSA E VERSO.


Realização: Associação Literária Lapeana
Apoio: Prefeitura Municipal da Lapa-Pr

''Magia de Viver''


Há tanto o que fazer...
Namorar, compreender...
Magia de viver!
Render-se aos caprichos...
Há tanto o que gostar...
Crer, amar...
Encantar!
Às estrelas se entregar...


''Magia de Viver'', poesia de autoria de Valéria Borges da Silveira,livro ''Tantos Eus'', pág 58.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

`O Amor que faz viver´


Quero ser o sol
que brilha para você
e a nuvem que faz chover...
A saudade que chega
e o amor que faz viver...
Quero fazer você sorrir,
sonhar e sentir
tudo de bom que está por vir...
Quero que o beijo dure,
que o tempo cure
e nos faça ver
que somos mais...
Somos tudo
podemos o infinito.

`O amor que faz viver´ poesia de autoria de Valéria Borges da Silveira, livro `Tantos Eus´, pág 45.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

A ARTE DE SABER VIVER EM HARMONIA – autoria Valéria Borges da Silveira


A falta de tato para resolver conflitos e tratar de assuntos com pessoas que têm idéias opostas, tem sido responsável por muitos desentendimentos e dissabores nos relacionamentos.
Por vezes, um problema que poderia ser facilmente resolvido, cria sérios rompimentos por causa da falta de jeito dos antagonistas.
O afeto, usado com sabedoria é uma ferramenta poderosa, mas pouco usada pela maioria dos indivíduos.
O mais comum tem sido a violência, a agressividade, a intolerância.
Existem pessoas que não gostam de mostrar sua intimidade e se escondem sob um véu de sisudez, com ares de poucos amigos, na tentativa de evitar aproximações que deixem expostas suas fragilidades.
Se em vez da força se usar o afeto, o aconchego, a ternura, a pessoa naturalmente se desarma e se deixa envolver, nem que leve algum tempo, por vezes até relativamente grande.
Às vezes a pessoa chega prevenida contra tudo e contra todos e se desarma ao simples contato com um sorriso franco ou um abraço afetuoso.
Mas, se ao invés disso encontra pessoas também predispostas à agressão, ao conflito, as coisas ficam ainda piores.
Como a convivência com outros indivíduos é uma realidade da qual não podemos fugir, precisamos aprender a lidar uns com os outros com sabedoria e sem desgastes.
A força nunca foi e nunca será a melhor alternativa.
Portanto, criar relacionamentos harmônicos é uma arte que precisa ser cultivada e levada a sério.
Basta lembrar dessa regra bem simples, mas eficaz: em vez da força, o afeto.
E tudo se resolve sem desgastes.

“De tudo o que fazemos na vida ficam apenas algumas lições:

A certeza de que estamos todos em processo de aprendizagem...

A convicção de que precisamos uns dos outros...

A certeza de que não podemos deter o passo...

A confiança no poder de renovação do ser humano.

Portanto, devemos aproveitar as adversidades para cultivar virtudes.

Fazer dos tropeços um passo de dança.

Do medo um desafio.

Dos opositores, amigos.

E retirar, de todas as circunstâncias, lições para ser feliz.”

 Texto "A ARTE DE SABER VIVER EM HARMONIA" de autoria Valéria Borges da Silveira.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

A Importância da Motivação- Autoria de Valéria Borges da Silveira


Antigo como a humanidade, havia um sentimento que não podia ser descrito em palavras... Durante muitos séculos este frenesi agitou o mundo, causou guerras e paz, fez casamentos nascerem e naufragarem, construções surgirem...
Motivação vem do latim motun, que, em português gerou moto, movimento. A palavra começou sua longa trajetória de mudança na Idade Média, quando foi criado o termo motivum, significando causa ou razão de um acontecimento. Transformou-se depois em motivar, expor os motivos, explicar as razões. E motivação, que é: despertar o interesse, a curiosidade, a atenção, o desejo, o impulso, o entusiasmo, o ideal.
A palavra veio atender a uma expectativa da sociedade de consumo emergente, fruto do pleno desenvolvimento da revolução industrial. Foi nesta época que as cidades se agigantaram, ganharam importância os meios de comunicação de massa, e os inventos se sucederam: apareceu o cinema, telefone, telégrafo, rádio, as ruas ganharam iluminação elétrica, surgiu o automóvel. As fábricas buscavam produção, produtividade e qualidade, e o mundo se transformou numa velocidade nunca antes vista.
Todos nós temos o potencial para adquirir conhecimentos, atitudes e novas habilidades. Com estas conquistas, podemos tomar decisões que alterem para melhor o nosso destino. A força propulsora deste processo é a vontade. Com ela, nossa possibilidade de aprender é ilimitada.
Todos nós temos momentos e sensações muito diversificados. Dias favoráveis, outros nem tanto. Decisões que nos levam adiante, outras apenas a atrapalhar, um desenrolar alternado de sucesso e fracasso...
Sempre devemos estar em busca de “algo mais” e isso também implica em motivação.
Devemos procurar nos preparar, ter uma sistematização de conhecimentos, atitudes e habilidades básicas para vencer os desafios.
Para onde queremos ir? Afinal, qual é o meu negócio?
Correr em busca de conquistas para ser feliz é primordial, mas também é importantíssimo estabelecer uma direção em busca da felicidade.
A vida, a todo momento solicita a tomada de decisões. Lembremo-nos, a escolha é sempre nossa, assim como o resultado é de cada um.
Procuremos fazer a vida mais feliz, nunca deixando de sonhar e de ter “verdadeiros motivos” de acreditar que os sonhos se tornarão realidade...

Texto de autoria de Valéria Borges da Silveira.

domingo, 11 de agosto de 2013

"Homenagem ao meu pai"



Pai, tantas coisas eu queria te dizer...
Cresci ao teu lado,
mas nem sempre consigo demonstrar
o quanto é importante para mim...
O quanto te amo, te admiro,
o quanto é especial na minha vida,
no meu dia-a-dia.
Um homem inteligente, que soube conquistar seu espaço.
Ser humano de valor.
Homem de origem simples
que por seu esforço e dedicação se formou
e conseguiu se tornar um ícone em sua profissão.
É mestre em bons projetos e
socialmente falando um exemplo de dignidade...
Pai exemplar,
marido apaixonado,
profissional idealista,
idealizador, protagonista de tantos feitos...
Um pai consciente do amor que tem para dividir...
Um pai amigo, 
sempre pronto para ouvir!

Feliz dia dos pais. Te amo! obrigada por tudo...
Sua filha Valéria

"Homenagem ao meu pai' faz parte do livro "Tantos Eus" de Valéria Borges da Silveira, pág 23

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

" Jardim Encantado"


Mergulhei em teu mundo...
Em sonhos e poesias aprofundei
minha fantasia...
Me apaixonei por teu sorriso e teu olhar,
me entreguei ao teu jardim encantado,
aprendi a te decifrar.
Toquei com harmonia teus acordes...
Em teus braços me realizei,
não posso mais deixar de te amar,
com teu carinho sempre sonhei...


"Jardim Encantado" poesia de Valéria Borges da Silveira, Livro "Tantos Eus' pág 42


sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Nossa Identidade Cultural - texto de Valéria Borges da Silveira


Na era do conhecimento, não há como ignorar ou bancar o ingênuo diante da multifacetada Educação no Brasil.

Vislumbram-se os passos desencontrados da trajetória histórica do processo educacional em nosso país. A aculturação ou exclusão dos povos indígenas, os modelos importados e impostos pelos diferentes grupos e instituições colonizadores de todos os naipes, as elites, a Igreja, o Estado... E, associadas ao processo histórico, as peculiares configurações regionais, dentro das quais e entre as quais ainda têm peso expressivo os estereótipos, os preconceitos, a discriminação.

Fica sempre a questão da nossa identidade cultural, da nossa identidade como povo, dos traços que marcam nossos limites, mas apontam também nossas possibilidades.

No Brasil, desde o descobrimento há uma dependência da cultura de outros países. Um processo de aculturação, que continua até hoje no nosso inconsciente coletivo. A maioria acha que tudo que é bom sempre está fora do Brasil.

Hoje, fala-se em interdisciplinaridade, em educação cidadã. A educação melhorou, mas ainda é preciso mudar mais, pois ainda hoje continua um processo de alienação. Já existe um movimento diferente para fazer reflexão nas salas de aula, usar recursos tecnológicos, como um vídeo que traga a realidade, uma música, uma pesquisa, diversificando para que possa construir o nosso jeito de pensar, sem esquecer o fenômeno social que está acontecendo ao lado.

Os problemas de identidade cultural influenciam diretamente algumas pessoas, que não “aprendem a pensar”. A idéia é que as pessoas aprendam não apenas a ler e escrever para reproduzir, mas que aprendam para que possam refletir e agir sobre situações do dia-a-dia. Situações que estão relacionadas com a comunidade em que vivem, como o lixo que foi jogado no rio, o supermercado que está cobrando muito caro. Devem aprender a ser cidadãos.

A leitura é o grande recurso para tarefas mais árduas. Porque a leitura aguça nossa sensibilidade, percepção de nós mesmos e dos outros, problematiza a linguagem e as facetas do mundo, ilumina as cenas do mundo, para que possamos ao menos entender que as respostas são possíveis e dependem de nosso empenho.

As mais variadas fontes de informação nos levam a um maior conhecimento, esclarecimento e não dão espaço à alienação, “marca registrada” na nossa sociedade.

A História é tarefa nossa, o mundo não está pronto, há muito o que fazer. Podemos mudar nossa natureza, deixarmos de ser condicionados, mudarmos nosso meio existencial, nosso canal, nossa forma de ser.

Desse choque com novas realidades, novas descobertas, aprendemos nova modulação para nosso ser e nosso estar no mundo.

Entre o grande mundo e nós há paredes que nos impedem de ir além do que alguns querem. Compete-nos superar essas paredes, modular a vida segundo nosso desejo de crescer.

Valéria Borges da Silveira

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Direitos Humanos - autoria de Valéria Borges da Silveira


Se queremos que o século XXI seja de fato o século dos direitos humanos, então é absolutamente vital ganhar a batalha pela igualdade em todo o planeta.

Todos possuem os mesmos direitos humanos, sem exceção, incluindo o direito à vida, à dignidade, à segurança, ao trabalho em condições justas, à saúde, à educação e à igualdade perante à lei.

Com a proliferação das novas tecnologias da informação, nota-se uma “revolução” na natureza sócio-político-econômica mundial em uma velocidade sem precedentes na história. E isso, de certa forma, causou um “impacto positivo” até em termos de segurança, principalmente nos países mais desenvolvidos. Na América Latina, a modernização dos órgãos de segurança e o uso da tecnologia no trabalho policial ainda se encontram em uma fase muito incipiente. Contudo, autoridades da área de segurança e representantes das polícias do Brasil, Argentina, Chile, México e Estados Unidos vêm se reunindo periodicamente desde meados de setembro do ano 2000, a fim de examinar estratégias para modernizar e aumentar a eficácia da instituição policial.

Sabe-se que a incorporação de novas tecnologias é um ingrediente fundamental para reduzir os índices de criminalidade. Deve-se estabelecer os pontos críticos e as tendências dos crimes de cada cidade, permitindo uma melhor orientação preventiva no trabalho policial.

Para uma nação ter condições mais dignas de construir uma vida melhor é necessário ter educação, saúde, segurança, enfim quesitos indispensáveis para qualquer cidadão.

Cabe a nós o otimismo e persistência, enfrentando os labores que irão surgir, vencendo-os dia-a-dia. É preciso que o país assuma o compromisso ético na implantação determinante da erradicação dos problemas sociais, com os setores empresarial e governamental em uma co-responsabilidade, com projetos estratégicos, pois só assim o Brasil seria capaz de gerar uma igualdade social.

A proteção das minorias e de outros grupos vulneráveis ocupa um espaço na agenda da comunidade internacional, mas ainda resta muito a ser feito a respeito.

Como eliminar as disparidades no acesso às oportunidades econômicas e sociais para, desse modo, desterrar as causas básicas do preconceito, da discriminação e da violência?

Como usar os meios de comunicação para difundir as mensagens sobre a unicidade da humanidade, o respeito, a tolerância e a boa vizinhança?

Em lugar de permitir que a diversidade de raça ou de cultura represente um limite para o intercâmbio e desenvolvimento humanos, é necessário percebe-la como potencial para um enriquecimento mútuo.


Valéria Borges da Silveira

quarta-feira, 3 de julho de 2013

"Limites'


"Palavras são palavras mendigando atenção.
As respostas são negadas,
As promessas valem não.
Ninguém pode ocultar:
Em cada face existe uma lágrima escondida,
Prestes a rolar...
Os meus olhos não alcançam os limites,
Fico perdida na amplidão das paisagens...
Possuo o silêncio do medo,
Meu tempo é limitado
Em um mundo de sonhos inacabados.
Tenho esperança, esperando um talvez,
Tenho tempos passados,
Marcas na alma... perdida num turbilhão de pensamentos.
Escalo o muro do meu saber,
A solidão é meu tempero, sinto fome sem desespero."

LIMITES - poesia de Valéria Borges da Silveira  livro"Rastos" e livro "Tantos Eus"

terça-feira, 25 de junho de 2013

Convite: PROJETO LAPA EM PROSA E VERSO



PROJETO LAPA EM PROSA E VERSO - Associação Literária Lapeana
 (lançado em março - inscrições até 31 de julho de 2013)

Ao longo da história da Lapa muitas pessoas se dispuseram a cantá-la em prosa e verso. Desde meados do séc. XIX, intelectuais, poetas e escritores reuniam-se para discutir e produzir literatura, sendo a 29 de julho de 1873, fundada a Associação Literária Lapeana, que conforme o disposto em seu Estatuto, no artigo segundo, tem por finalidade “a promoção da cultura, a pesquisa, a preservação da memória histórica, literária, artística, arquitetônica, folclórica e ambiental”.
Com o objetivo de dar continuidade ao que preconiza seu Estatuto, a Associação Literária Lapeana, em comemoração ao seu aniversário de 140 anos, lança o projeto cultural “Lapa em prosa e verso”, obedecendo ao regulamento abaixo:
1. O projeto destina-se às pessoas maiores de 14 anos, estudantes ou não, que se dispuserem a registrar os principais traços, personagens e marcas da história e da cultura da Lapa por meio da produção literária.
2. Serão aceitos apenas trabalhos inéditos que apresentem como tema: aspectos históricos, religiosos, culturais, ou ainda: personagens, lendas e causos que marquem a identidade lapeana.
3. Os trabalhos poderão ser inscritos em uma das modalidades:
3.1- poesias;
3.2- crônicas;
3.3- causos, lendas e contos;
3.4- relatos de vida;
3.5- fatos históricos.
4. Cada participante poderá inscrever até dois trabalhos.
5. Consideram-se inscritos os trabalhos enviados até 31/07/2013 na Secretaria Municipal de Educação, situada na Rua Barão do Rio Branco, em Lapa/PR.
6. Os trabalhos deverão ser apresentados em duas vias digitadas em fonte arial número 12 e gravadas em CD, limite máximo 10 (dez) páginas.
7. Deverá ser anexado ao(s) trabalho(s) um envelope lacrado contendo: modalidade, título, pseudônimo, nome completo, endereço, telefone, RG. Na parte externa do envelope constará apenas o pseudônimo, modalidade e título do trabalho.
8. A comissão julgadora será composta por uma equipe designada pela diretoria da Associação Literária Lapeana (ALL), sendo sua decisão soberana e irrecorrível.
9. Os textos enviados não sofrerão intervenção quanto à estrutura e possível revisão textual.

10. Premiação:
10.1- Os trabalhos selecionados comporão a coletânea “Lapa em prosa e verso”.
10.2- Os autores selecionados terão direito a certificado de participação e três exemplares da obra.
10.3- A cerimônia de lançamento da obra será feita em data comemorativa à reativação da ALL, em 07/09/2013.
11- O encaminhamento dos trabalhos na forma prevista neste regulamento implica na concordância com as disposições nele consignadas.
12. Os trabalhos originais não serão devolvidos.
13. Os casos omissos no presente regulamento serão resolvidos pela direção da ALL.
14. O recebimento dos textos se dará entre março e julho de 2013.
15. Os autores dos textos selecionados para compor a coletânea “Lapa em prosa e verso”, serão comunicados do resultado do concurso cultural, por meio de correspondência.
16. Informações, telefones de membros da Associação Literária Lapeana ( 3622-2350; 3622-2577).


Atenciosamente:
Diretoria da Associação Literária Lapeana - ALL

segunda-feira, 24 de junho de 2013

"A Importância da Leitura" Autoria Valéria Borges da Silveira.


Vivemos em uma era de especialização em virtude do extraordinário desenvolvimento da ciência e da tecnologia, e da conseqüente fragmentação do conhecimento em incontáveis avenidas e compartimentos.

A especialização traz benefícios. Possibilita pesquisas e experimentos, e é a força motriz do progresso. Mas deve-se levar em conta que é na literatura que há um denominador comum da experiência humana. Aqueles de nós que leram Cervantes, Shakespeare, Dante ou Tolstoi entendem uns aos outros e se sentem indivíduos da mesma espécie porque, nas obras desses escritores, aprenderam o que partilhamos como seres humanos, independentemente de posição social, geografia, situação financeira e período histórico.

Nada nos protege melhor da estupidez do preconceito, do racismo, da xenofobia, do sectarismo religioso ou político e do nacionalismo excludente do que esta verdade que sempre surge na grande literatura: todos são essencialmente iguais. Nada nos ensina melhor do que os bons romances a ver nas diferenças étnicas e culturais a riqueza do legado humano e a estimá-las como manifestação da multifacetada criatividade humana.

Ler boa literatura é ainda aprender o que e como somos – em toda a nossa humanidade, com nossas ações, nossos sonhos e nossos fantasmas -, tanto no espaço público como na privacidade de nossa consciência. Esse conhecimento se encontra apenas na literatura. Nem mesmo os outros ramos das ciências humanas – a filosofia, a história ou as artes – conseguiram preservar essa visão integradora e um discurso acessível ao leigo.

O elo fraternal que a literatura estabelece entre os seres humanos transcende todas as barreiras temporais. A sensação de ser parte da experiência coletiva através do tempo e do espaço é a maior conquista da cultura, e nada contribui mais para renová-la a cada geração do que a literatura.

Uma sociedade sem literatura escrita se exprime com menos precisão, riqueza de nuances, clareza, correção e profundidade do que a que cultivou os textos literários.

Sem a literatura, a mente crítica – verdadeiro motor das mudanças históricas e melhor escudo da liberdade – sofreria uma perda irreparável. Porque toda boa literatura é um questionamento radical do mundo em que vivemos.

A literatura nos permite viver num mundo onde as regras inflexíveis da vida real podem ser quebradas, onde nos libertamos do cárcere do tempo e do espaço, onde podemos cometer excessos sem castigo e desfrutar de uma soberania sem limites. Como não nos sentirmos “enganados” depois de ler Guerra e paz ou Em busca do tempo perdido e voltar a esse mundo de detalhes insignificantes, obstáculos, limitações, barreiras e proibições que nos espreitam de todo canto e em cada esquina corrompem nossas ilusões?

Se queremos evitar o desaparecimento dos romances – ou sua restrição ao sótão dos objetos inúteis – e com isso o desaparecimento da própria fonte que estimula a imaginação e a insatisfação, que refina nossa sensibilidade e nos ensina a falar com eloqüência e precisão, que nos torna livres e nos garante uma vida mais rica e intensa, então devemos agir. Precisamos ler bons livros e incitar à leitura os que vêm depois de nós.


*Artigo publicado em Jornais de Pato Branco-PR e Lapa PR

quinta-feira, 20 de junho de 2013

"LAURA INES"



Laura Inês
 
Linda
Amada
Única
Real
Adorada...

Inteligente, Iluminada...
Notável
Especial Demais
Singular, Sensacional para mim...



Poesia de Valéria Borges da Silveira em homenagem a filha Laura Inês, livro "Tantos Eus"

"FIM DE TARDE"



"Bonito é o fim da tarde,
Que parece infinito,
E é um lugar comum.
E todo mistério é nenhum.
Sem mais,
Sem razão,
Sem talvez,
O sol se põe outra vez.
Grande é a força de que sou capaz...
Grande é o amor que sempre me refaz,
Quando o sol dá a alma
Para a noite que vem.
Bonita é a energia
Que o sol me traz..."

"Fim de Tarde" poesia de Valéria Borges da Silveira, livro "Tantos Eus" 

"LINDA"



Para Laura Inês...


   "Você é tudo pra mim...
É um sonho que sempre existiu
Dentro de mim...
É linda...
Um amor sem fim...
É o sonho de hoje
E o desejo de ontem.
É o meu sol,
Brilho de cada dia
A cada amanhecer...
É o meu querer,
É o meu viver...
É tudo enfim!"


"Linda", poesia de Valéria Borges da Silveira, livro "Tantos Eus"

"UM ENCANTO"


Para Laura Inês...
"Em qualquer canto de mim
Há um recanto pra ti
E um encanto... em ti.
Sempre haverá um encontro,
Um conforto...
De um travesseiro e
Um raio de sol o tempo inteiro!"



"Um encanto" poesia de Valéria Borges da Silveira, livro "Tantos Eus"

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Texto by Valéria Borges da Silveira


O mar azul, levem-me a vê-lo sem demora, para que eu aprenda, desde cedo, que a violência deve se brandear em espumas. As tempestades, não mais escondam, porque elas trazem a brandura a tiracolo. De presente, dêem-me uma régua somente, para que eu aprenda a fazer meus riscos sem maiores riscos. Mas não me apressem, que além da perfeição, do desfrute, inimiga ela é. Infância, eu só vou ter novamente após os oitenta. Portanto, deixem sua pressa aguardando no cabide.
Se na adolescência eu, por ventura, rasgar uma folha, ao querer impor a impetuosidade da minha letra, deixem que eu aprenda a escrever em todas as texturas humanas, sem jamais rasgar. E se algum papel se me apresentar áspero demais, não me impeçam de tentar minha caligrafia, mas não me deixem abandonar o terreno difícil.
Quando, na volúpia "teen" de escrever, eu não encontrar tempo para tirar os olhos da minha escrita rápida e do meu estilo afrontador, tragam-me um papel de seda, onde eu aprenda a traçar com cuidado. Se ousar um escrever de espadachim, mostrem-me uma lágrima, para que eu me lembre dela mais tarde, quando dela precisar um afago.
Ensinem-me a escrever semínimas e máximas, que ditem calmantes aos que me acompanhem nas dissertações da vida. Se eu, num momento de desvario, quiser pôr um ponto final, transformem-no num ponto e vírgula, ou em reticências, para que eu veja que há tantas vírgulas num texto...
Quando mais usado, por haver escrito epopéias, alexandrinos e romances, heróicos ou não, deixem-me versejar rosas. Deixem-me perceber que não vivi ileso, guardado no escuro. Deixem-me sentir-me gasto em milhares de páginas, a queimar ainda, com rugas de um coração bem batido, envolvido, entregue, e doado.

Autoria de Valéria Borges da Silveira

Escrito em 1995 e reescrito em 2001. Publicado em jornal em Pato Branco em 2001.


quinta-feira, 23 de maio de 2013

"Só"


A solidão do medo
a solidão do erro
a solidão do zelo
fez só meu o meu amor
e só minha a minha dor.
Impotentes vontades...
Ah! Esse amor...
Saqueando a alma,
arrombando o coração...


"Só", autoria de Valéria Borges da Silveira, livro Tantos Eus, pág. 64

quarta-feira, 22 de maio de 2013

"Quem me dera"


Quem me dera a eterna vida
nunca arranhar os céus da alma...
Varrer as poeiras diversas
que se instalam...
Tecer a teia do tempo...
iluminar meu pensamento...
Quem me dera
sempre bater forte e
escandaloso o coração...


"Quem me dera" é de autoria de Valéria Borges da Silveira - Livro Tantos Eus, pág. 55

sexta-feira, 17 de maio de 2013

"Não Sei"


Não sei do amor
nem sei quem sou.
Se hoje sou estrela
amanhã já se apagou.
Não sei de um riso acabado,
nem sei de um riso sem fim.
Se hoje sou atriz,
amanhã sou o tablado.
Não sei tocar um dobrado,
nem sei picadeiro.
Se hoje sou igual a você,
amanhã não faço por menos;
serei coração tatuado,
espírito elevado,
nada me perturbará,
serei algo sagrado.

"Não Sei" autoria de Valéria Borges da Silveira - Livro "Tantos Eus" pag 39.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Convite Theatro São João

Convidamos para os eventos da semana no Theatro São João

08/05 - quarta-feira
Festival do Minuto
Horário: 19:30
Entrada Franca
Censura: 16 anos
* mostra dos melhores filmes de um minuto

11/05 - sábado
Espetáculo Teatral "Bufolândia"
Horário: 19:30
Ingressos: R$ 10.00 inteira e R$ 5.00 meia (à venda na bilheteria do theatro)
Censura: livre

* O Grupo Teatral Os Bufos foi vencedor de vários prêmios no Festival de Pinhais, o 7º Fetaepi, entre eles:melhor cenografia, melhor figurino, melhor direção e Melhor ESPETÁCULO Amador.

Aguardamos sua presença,


Atenciosamente
Equipe-Theatro São João
Contato:(41)3911 1000
Praça General Carneiro,s/nº Lapa-Pr

terça-feira, 30 de abril de 2013

"Apenas Palavras"

  

"Apenas Palavras"

"... E as palavras correm soltas no papel
Como saíssem de minha boca
Belas, Loucas
E eu me calo como quem esconde o rosto
E leio minhas palavras
Nem perfeitas
Nem eternas,
Nem mesmo algo mais absoluto.
Sou isca de minha própria vida, palavra."

Livro: Tantos Eus de Valéria Borges da Silveira

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Convite Theatro: Contação de História

Contação de História " Hans Staden entre os Tupinambás" que fala sobre a história do Paraná.

Local: Theatro São João
Data: 14/04
Horário: 16:00
Ingressos : R$ 10.00 inteira
R$ 5.00 meia (professores, estudantes e acima de 60 anos)
Indicação: acima de 09 anos

Ingressos à venda na bilheteria do Theatro

Participem!

segunda-feira, 1 de abril de 2013

"Poeira Estelar"


Às vezes é preciso estar
nas entrelinhas da vida
para que se saiba
aonde se encontra o equilibrio
do amor, do ser, do sonho.

Às vezes é preciso
construir castelos enormes
com as ruínas que surgem com o tempo no peito.

Às vezes é preciso
caminhar sozinho...

Às vezes é preciso lembrar
que não somos muito,
que somos apenas...
Poeira estelar.


"Poeira estelar", de autoria de Valéria Borges da Silveira - Livro Tantos Eus.

segunda-feira, 25 de março de 2013

"Amar, eternamente amar"


"Conviver, amar,
Sonhar em ver.
Saber que dar
é uma forma de receber...
Querer estar, perceber
Toda fragilidade do ser...
Dedicar mais tempo,
Não querer perder...
Amar, eternamente amar.
Viver...
jamais, morrer!"
 
Poesia "Amar, eternamente amar" de autoria de Valéria Borges da Silveira

sexta-feira, 22 de março de 2013

22 de Março - Dia Mundial da Água



"Como uma voz em segredo
Reza em momento de mágoa,
Sai gemendo um fio d'água
Do coração do rochedo.
O sangue branco das águas...
A água correndo...
Parece a ladainha amargurada
De alguém que está sofrendo...
Água...
Sangue vivo no rio,
Como em artérias,
Estuante, e pelos córregos azuis,
Pelos veios
A fecundar o corpo vivo e esquivo da terra,
A tumultuar,
No leito das areias...
Estás presente
Nas vasas deletérias
Onde a vida se perde,
Na decomposição do brejo verde,
Nos riachos do Brasil..."

Poesia : "ÁGUA" - Livro Tantos Eus - autoria: Valéria Borges da Silveira - em homenagem ao Dia Mundial da Água

domingo, 17 de março de 2013

"Eterno Amor"



"Eterno Amor

"Amor é o perfume da vida, ele cabe no meu espaço, se irradia sem tristezas, sem pausas, sem cansaço. Da vida é o grande centro. É um mar de ostras azuis tendo pérolas dentro... É a paixão que vem da alma, cada vez mais se fixa e dura a vida inteira. Amor... São reticências no céu. É um transbordar do eu, domina e invade, repele e atrai, mata e seduz..."

Livro "Tantos Eus" de Valéria Borges da Silveira

segunda-feira, 4 de março de 2013

Convite: Show de Mágica Theatro São João



Show de Mágica
15/03 - 20 horas(Sexta)
16/03 - 20 horas(Sábado)
17/03 - 15 horas(Domingo)
Ingresso- R$ 10,00(Ingressos limitados)
Local:Theatro São João

Compareçam e levem a criançada!


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Convite: 4° Encontro de Veículos Antigos e Especiais da Lapa

Dias 16 e 17 de março de 2013, na Alameda David Carneiro. Clike na imagem abaixo para visualizar convite e cronograma completo.

 Com certeza este encontro será mais uma vez um grande sucesso. Compareçam!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Convite: Filmes no Theatro São João




Convidamos para a exibição de filmes em Comemoração aos 119 anos do Cerco da Lapa

22/02 - Benção Madrinha e Uns Braços
23/02 - O Preço da Paz
24/02 - Amor em Tempos de Guerra

Local: Theatro São João
19 horas 
Entrada Franca


Theatro São João
Contato:(41)3911 1000
Praça General Carneiro,s/nº Lapa-Pr